Barra Gov
Portal do Governo Brasileiro

Relatório Education at a Glance 2021, da OCDE, cita programa do MEC

Na última quinta-feira (16), foi publicado o relatório Education at a Glance 2021, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O documento examina a qualidade dos resultados da aprendizagem, as alavancas de políticas públicas e os fatores contextuais que moldam esses resultados, atuando como um norteador, a fim de que os países possam construir sistemas de educação mais eficazes.

O Education at a Glance 2021 menciona iniciativas promovidas pelo Ministério da Educação (MEC) que objetivam contornar a disparidade de oportunidades ocasionada por fatores socioeconômicos e melhorar os resultados na alfabetização brasileira.

De acordo com o relatório,  no Pisa 2018, o desempenho dos alunos brasileiros em leitura, quando comparado ao de alunos de outros países, está bem abaixo da média da OCDE. Para melhorar essa situação, o Governo Federal, por meio do Ministério da Educação, lançou o programa Tempo de Aprender, que, incorporando experiências exitosas nacionais e estrangeiras, tem como principal propósito elevar a qualidade da alfabetização no Brasil.

“Na maioria dos países da OCDE e parceiros, o status socioeconômico influencia os resultados da aprendizagem mais do que o gênero e o status de imigrante. No Brasil, a proporção de crianças da quarta parte inferior do índice de status econômico, social e cultural (ESCS) do Pisa que alcançaram pelo menos o nível 2 do Pisa em leitura em 2018 foi 55% menor do que a das crianças da quarta parte superior da ESCS, em comparação com 29% menor, em média, dos países da OCDE. Esta é uma das maiores lacunas de desempenho entre os países com dados disponíveis. Várias iniciativas, no entanto, foram tomadas como uma tentativa de melhorar os resultados da alfabetização de todos. Por exemplo, o programa Tempo de Aprender foi implementado para aumentar a qualidade do ensino e aprendizagem da alfabetização por meio do desenvolvimento profissional, apoios pedagógicos, avaliação da alfabetização e recompensas financeiras relacionadas ao desempenho para profissionais da alfabetização." (OCDE, 2021 [2])

A menção feita pelo relatório ao programa demonstra o reconhecimento da OCDE aos esforços empregados pelo Governo Federal no sentido de melhorar a proficiência dos alunos brasileiros em leitura.

De acordo com o Secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, “Ao ler o relatório da OCDE, a equipe da Secretaria de Alfabetização sentiu-se orgulhosa com a menção às várias iniciativas da Sealf, em geral, e ao programa Tempo de Aprender, em particular. O conjunto das ações da Sealf contribuirá para a melhoria do desempenho dos alunos brasileiros no Pisa e em outros estudos internacionais”.

O programa Tempo de Aprender

O Tempo de Aprender tem como público-alvo profissionais da educação que atuam no último ano da pré-escola e nos dois primeiros anos do ensino fundamental.

No âmbito do programa, o Governo Federal exerce seu papel de prestar assistência técnica e financeira aos entes federados, por meio de ações respaldadas em evidências científicas. Essas ações estão distribuídas em quatro eixos: Formação Continuada de Profissionais da Alfabetização; Apoio Pedagógico para a Alfabetização; Aprimoramento das Avaliações da Alfabetização; e Valorização dos Profissionais de Alfabetização.

O relatório Education at a Glance 2021 está disponível para consulta. Acesse.

Saiba mais sobre o Tempo de Aprender.

Texto original: Across most OECD and partner countries, socio-economic status influences learning outcomes more than gender and immigrant status. In Brazil, the proportion of children from the bottom quartile of the PISA index of economic, social and cultural status (ESCS) achieving at least PISA level 2 in reading in 2018 was 55% lower than that of children from the top ESCS quartile, compared to 29% lower on average across OECD countries. This is one of the largest performance gaps among countries with available data. Several initiatives, however, have been taken as an attempt to improve everyone’s literacy outcomes. For instance, the “Time to learn” programme (“Tempo de Aprender”) was implemented to raise the quality of literacy teaching and learning through professional development, pedagogical supports, literacy assessment, and performance-related financial rewards for literacy professionals. (OECD, 2021[2]).

 

 

Assessoria de Comunicação Social do MEC